+A -A

Duratex abriga mais de 2 mil espécies de plantas e animais em suas áreas de manejo

Companhia possui 275 mil hectares de florestas, sendo 23% desse total destinados à conservação ambiental. Espécies ameaçadas de extinção e bioindicadoras estão entre as que habitam as unidades da empresa, reforçando sua qualidade ambiental

Espalhadas pelos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, as sete unidades florestais da Duratex realizam o manejo de plantações de eucalipto e pinus e são também lar de mais de 2 mil espécies da biodiversidade.

São plantas e animais monitorados e registrados em inventário, desde a década de 70, em parceria com centros de pesquisas e universidades federais e estaduais.

Entre elas, espécies ameaçadas de extinção – como a araucária e o mico-leão-preto – e também bioindicadoras – como a arara-canindé, o falcão-de-coleira, o papa-moscas-do-campo e o tico-tico-de-máscara-negra –, que habitam locais com boas condições de ar, solo e água, atestando a qualidade ambiental das florestas da companhia.

"Mantemos, inclusive, corredores ecológicos em nossas unidades para facilitar o fluxo de animais e sementes entre as áreas de conservação existentes em nossas florestas", conta Andreli Sebastião, da área de Biodiversidade e Recursos Naturais da Duratex. "A presença de toda essa biodiversidade em nosso território de atuação reforça o quanto nosso manejo florestal é feito de forma sustentável e contribui para a proteção e conservação da fauna e flora local", completa.



Voltar