+A -A

Duratex apresenta case sobre valor econômico de boas práticas ambientais

Em encontro promovido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), prática ambiental da Duratex foi avaliada por banca de especialistas. Case apresentado mostra benefícios econômicos da implementação de britadores nas unidades Deca Louças

Em 2015, a Duratex reduziu em 32,1% o envio de resíduos para aterros, em comparação com o ano anterior, sem contar a diminuição do uso de matéria-prima. Um dos projetos da companhia que mais contribuiu para tais resultados foi a implementação de britadores nas unidades de Deca Louças – equipamentos que trituram peças de louças reprovadas pelos critérios de qualidade da companhia para reutilizá-las no próprio processo produtivo.

Os benefícios ambientais da iniciativa são claros, mas como mensurar seus ganhos financeiros? Esta é a proposta de projeto instituído em 2015 pelo GVCes (Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV), com apoio da GIZ (Agência Alemã de Cooperação Internacional) e empresas de diferentes setores. Entre elas, a Duratex.

A iniciativa estudou, ao longo de um ano, os benefícios financeiros da implementação do britador na unidade de Jundiaí da Deca Louças. Os resultados foram debatidos, na última quinta-feira (8), por uma banca de especialistas, durante encontro promovido em São Paulo, na sede da FGV.

“Promover a integração entre as áreas de Finanças, Meio Ambiente e Tecnologia é fundamental para garantir que a sustentabilidade esteja cada vez mais presente na estratégia de negócio da companhia”, diz Roberto Mortara, gerente de Engenharia e Tecnologia de Deca Louças. Ele completa: “Estar ao lado da FGV nessa iniciativa, com certeza, vai nos ajudar a aprimorar a identificação do valor gerado e compartilhado pela empresa a partir dos investimentos em projetos ambientais”.

Saiba mais sobre a Gestão de Resíduos da Duratex.



Voltar