+A -A

Duratex e Lenzing anunciam joint venture para construção da maior linha industrial de celulose solúvel do mundo

União de duas empresas líderes em seus segmentos de atuação coloca o Brasil em destaque em mercado voltado à produção de celulose solúvel

A Duratex, maior produtora de painéis de madeira industrializada e pisos, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul, anuncia entrada em um novo segmento de atividade, o de celulose solúvel, em parceria com o grupo austríaco Lenzing, líder na produção de fibras especiais de celulose. A nova companhia tem como objetivo operar na produção e comercialização deste produto após a construção da maior linha industrial de celulose solúvel do mundo, que será instalada em área florestal da Duratex na região do triângulo mineiro, próximo de São Paulo. O investimento total previsto para o projeto é de aproximadamente U$D 1 bilhão. As áreas de terras e florestas em Minas Gerais representam uma parte importante do investimento da Duratex, além do desembolso financeiro da companhia. A joint venture que irá operar a fábrica e a floresta será detida pela Duratex e Lenzing, com participação de 49% e 51%, respectivamente. O fechamento da operação e a constituição da nova companhia estão sujeitos, também, às autorizações dos órgãos competentes, assim como à viabilidade do planejamento de engenharia. A decisão de quando a planta será construída será tomada no segundo semestre de 2019 e a expectativa é que a primeira produção ocorra em 2022.

Além da importância para o crescimento da companhia no longo prazo, o projeto representa um passo decisivo no processo de transformação do negócio Florestal.

A Duratex aporta na parceria sua capacidade e conhecimento florestal, que se refletem no manejo eficiente das plantações, com índices de produtividade acima da média brasileira e internacional. Ao mesmo tempo, ao destinar à produção de celulose solúvel uma plantação de aproximadamente 43 mil ha na região, a Duratex concluirá a racionalização de seus ativos florestais e tornará a companhia ainda mais competitiva, sem afetar a sua capacidade de suprir as fábricas de painéis com madeira própria.

A fábrica também coloca a empresa em destaque no mercado de produtos sustentáveis, que tende a crescer, ainda mais, nas próximas décadas diante da busca constante por soluções sustentáveis.

“Projetos como este são resultado de nosso plano estratégico e do empenho da nossa equipe para traçar o futuro da Duratex. A companhia é reconhecida por solidez financeira, qualidade, inovação e sustentabilidade, resultado de uma história construída ao longo de mais de seis décadas. Agora, estamos prontos e estruturados para manter a liderança e expandir os nossos negócios, reforçando, assim, o compromisso da Duratex com o desenvolvimento do Brasil, fomentando a economia por meio da geração de empregos e investimentos”, afirma Antonio Joaquim de Oliveira, presidente da Duratex.

A fábrica deverá ter capacidade para produzir 450 mil toneladas de celulose solúvel por ano. Toda a produção da nova fábrica será 100% destinada à exportação e vendida para Lenzing para suprir suas operações na Europa e na Ásia.

O Grupo Lenzing utiliza a celulose solúvel, que vem ganhando importância no mundo, como matéria-prima para a produção de fibras utilizadas na indústria têxtil. “As fibras de celulose solúvel são uma importante contribuição para fazer a indústria têxtil global mais sustentável. Alinhado ao nosso plano estratégico sCore TEN, nós estamos comprometidos com um forte crescimento orgânico nessa área. Estamos entusiasmados em ter a Duratex, uma empresa líder em manejo florestal sustentável, como parceira nessa joint venture. Juntos criaremos uma matéria-prima sustentável e competitiva para o plano de expansão mundial da Lenzing”, afirma Stefan Doboczky, Diretor Executivo do Grupo Lenzing.

“A parceria com a Lenzing, na maior e mais competitiva linha industrial de celulose solúvel do mundo, é uma honra para a Duratex. Trabalhar com a Lenzing, um benchmark mundial em tecnologia, alta qualidade e governança corporativa, nos deixa muito satisfeitos. Nós temos a certeza de que essa joint venture será um sucesso”, conclui Antonio.



Voltar