+A -A

Mercado de Capitais / Governanca Corporativa

As ações da Duratex são negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA) desde 1951, e possuem o código DTEX3.

Em 29 de abril de 2011, concomitante com a elevação do Capital Social, foram emitidas 91.672.555 novas ações ordinárias escriturais, sem valor nominal, e atribuídas gratuitamente aos acionistas a título de bonificação, na proporção de 2 (duas) novas ações para cada lote de 10 (dez) ações ordinárias que os acionistas possuíam ao final de 29 de abril de 2011.

Em 22 de abril de 2013, fizemos uma bonificação, na proporção de 1 (uma) nova ação para cada lote de 10 (dez) ações ordinárias que os acionistas possuíam ao final de 22 de abril de 2013.

Em 23 de abril de 2014, fizemos uma bonificação, na proporção de 1 (uma) nova ação para cada lote de 10 (dez) ações ordinárias que os acionistas possuíam ao final de 22 de abril de 2014.

Em decorrência da bonificação o Capital Social da Duratex é representado por um total 665.565.438, sendo a totalidade delas ordinárias.

Grupo Itaúsa 40%
Grupo Ligna 20%
Demais acionistas 40%

A Duratex passou a integrar o Novo Mercado da BMF&Bovespa a partir de 2009, reforçando assim o comprometimento da Companhia com as melhores práticas de Governança Corporativa.

Sim, as ações possuem “Tag-along” de 100%.

Os resultados são publicados trimestralmente e refletem os fechamentos referentes aos primeiros, segundos, terceiros e quartos trimestres. Quando de sua divulgação, os resultados são imediatamente disponibilizados neste site, na seção destinada às Informações Financeiras. O cronograma de eventos corporativos traz as datas previstas de divulgação dos resultados.

Aos acionistas é garantido estatutariamente um dividendo mínimo obrigatório correspondente a 30% do lucro líquido ajustado.

Operações da Empresa

A Duratex possui duas unidades de negócios de operações bastante distintas – Painéis e Deca – no qual a primeira fabrica painéis de madeira reconstituída (chapa de fibra, MDP, MDF/HDF/SDF e piso laminado) e tem como principal cliente a indústria moveleira. As principais marcas desta divisão são Duratex, Duratree, Duraplac, MaDeFibra e Durafloor. Por sua vez, a Divisão Deca tem como principais produtos os metais e as louças sanitárias, e respectivas linhas de acessórios, todos vendidos sob as marcas Deca e Hydra.

Atualmente, a Duratex é líder no mercado nacional de painéis de madeira reconstituída, sendo também uma importante exportadora de chapas de fibra. A Deca, por sua vez, é líder no segmento de metais sanitários e tem importante participação no mercado de louças sanitárias, principalmente nos segmentos médio e luxo.

Empresa possui escritórios nos Estados Unidos e na Europa, por meio das subsidiárias Duratex North America e Duratex Europe N.V, responsáveis por realizar atividades comerciais e de intermediação de vendas.

Em 2013 a Companhia adquiriu mais 43,62% do capital da Tablemac, líder na fabricação de painéis de madeira na Colômbia, por meio de uma Oferta Pública de Ações (OPA). Com isso, a participação da Duratex naquela empresa chegou a 80,62%.

Quais os principais investimentos e realizações?

Duratex investe continuamente na sua expansão e aprimoramento, de acordo com o planejamento estratégico definido pelos seus gestores. Assim, a Companhia, confiante no crescimento da economia brasileira, realizou, nos últimos cinco anos, investimentos da ordem de R$ 2,9 bilhões, sendo R$ 601,5 milhões em 2013.

Em 2013, na Divisão Madeira, a Duratex concluiu uma nova planta para fabricação de painéis MDF em Itapetininga, no estado de São Paulo, e finalizou as obras de desgargalamento na produção de painéis MDP, na cidade de Taquari (RS).

Na Divisão Deca, os investimentos foram para o aumento da capacidade produtiva na unidade de Jundiaí (SP) e de Queimados (RJ).

A expectativa da Companhia é que todos esses projetos atinjam seu ápice a partir do segundo semestre de 2016, trazendo benefícios diretos para a rentabilidade dos negócios.

Quais os principais investimentos e realizações?

O endividamento bruto consolidado, no fim de dezembro de 2013, totalizou R$ 2.450,8 milhões, equivalente a uma dívida líquida de R$ 1.454,0 milhões, o que representa um aumento nominal de 6,2 % em comparação ao endividamento relativo ao mesmo período de 2012 e decorre dos investimentos em expansão e aquisições realizados no período. Esse nível de endividamento líquido equivale a 1.17x o Ebitda dos últimos 12 meses e a 33,3 % do patrimônio líquido no fim de dezembro, o que é considerado baixo.

Outras Perguntas

Quais os principais investimentos e realizações?

O endividamento bruto consolidado, no fim de dezembro de 2013, totalizou R$ 2.450,8 milhões, equivalente a uma dívida líquida de R$ 1.454,0 milhões, o que representa um aumento nominal de 6,2 % em comparação ao endividamento relativo ao mesmo período de 2012 e decorre dos investimentos em expansão e aquisições realizados no período. Esse nível de endividamento líquido equivale a 1.17x o Ebitda dos últimos 12 meses e a 33,3 % do patrimônio líquido no fim de dezembro, o que é considerado baixo.