+A -A

Cientes do impacto que nossas atividades têm na sociedade, fazemos questão de atuar, tanto nos processos quanto nos produtos que desenvolvemos, de forma a gerar cada vez mais valor compartilhado.

Para tanto, revisitamos nosso Modelo de Negócio e realizamos mapeamento dos insumos mais importantes para nossa operação, a fim de verificar de que maneira poderíamos potencializar nossa geração de valor, no médio e longo prazo, para todos os públicos com que nos relacionamos, a partir de nossas atividades e produtos.

Nasceu assim uma nova versão do nosso Modelo de Negócio, que avalia toda a cadeia de valor e define como as divisões Deca e Madeira, com unidades espalhadas por todo o Brasil, devem atuar para gerar valor aos nossos públicos de relacionamento, de forma integrada à nossa estratégia, Missão, Visão e Valores e considerando os seis capitais propostos pelo IIRC (Conselho Internacional para Relato Integrado). São eles:


Capital natural

Capital humano

Capital social e de relacionamento

Capital manufaturado

Capital intelectual

Capital financeiro

Confira, abaixo, nosso Modelo de Negócio. Definido por grupo multidisciplinar, composto por líderes de diferentes áreas administrativas e operacionais da companhia, e aprovado em reunião extraordinária pelo nosso Comitê de Sustentabilidade em 2015, ele é seguido por todos os líderes e colaboradores desde então.

 
Uso de equipamentos com alta eficiência energética
Captação de àgua da chuva
Captação de resíduo de óxido de zinco para revenda a terceiros
Aquecimento solar de àgua em vestiários
Tratamento de efluentes
Reutilização da àgua da Estação de Tratamento no processo industrial
Recuperação das borras de fundição de bronze e latão
Sensores de desligamento automático de luzes
Aumento da eficiência dos fornos
Moldes da fundição de bronze feitos com areia reciclada
Recuperação do óleo da usinagem
Reciclagem de 100% dos produtos e subprodutos de latão e bronze usados no processo produtivo
Utilização de àgua de reuso na galvanoplastia
Captação de resíduo de hidróxido de níquel para revenda a terceiros
Certificação OHSAS 18001 para o Sistema de Saúde e Segurança
Desenvolvimento de carreira para os colaboradores
Capacitação dos colaboradores para o tema Sustentabilidade
Excelência no atendimento
Avaliação das práticas socioambientais dos fornecedores
Capacitação gratuita para instaladores hidráulicos
Engajamento com a comunidade
Produtos inovadores, de qualidade e com características sustentáveis
Geração de patentes de produtos
Prototipagem 3D
Centro de Desenvolvimento e Inovações
Aplicação de tecnologia suíça para acabamento de peças
Certificação ISO 9001 para o Sistema de Gestão da Qualidade
Certificação ISO 14001 para o Sistema de Gestão Ambiental
Impostos pagos ao governo
X

1. Recebimento de materiais

Etapa de recepção e avaliação dos materiais utilizados no processo produtivo.

X

2. Fundição

Processo de fusão dos metais com posterior moldagem para geração de componentes.

X

3. Usinagem

Processo mecânico de remoção de material das peças brutas por meio de equipamentos e ferramentas de corte.

X

Produção de liga metálica de Zamac

Processo que injeta, em moldes, liga de zamac em estado líquido para geração de componentes.

X

Produção de plástico

Processo que injeta plástico em moldes para geração de componentes.

X

4. Lixamento e polimento

Etapas de acabamento superficial que visam conferir aspecto brilhante e sem marcas às peças.

X

5. Galvanoplastia

Processo de deposição metálica que garante novas propriedades mecânicas e estéticas às peças, como o aspecto cromado.

X

6. Montagem

Etapa de montagem de componentes (produzidos interna e externamente) e embalagem final dos produtos.

X

7. Expedição

Etapa de armazenamento, preparação dos lotes e envio aos clientes.

 
Reutilização de água
Recuperação dos materiais usados no processo produtivo
Compostagem
Tratamento de efluentes
Uso de energia solar
Reaproveitamento dos resíduos de louça para fabricação de massa
Sensores de desligamento automático de luzes
Moldes recicláveis de gesso
Reaproveitamento de esmalte
Reaproveitamento do calor dos fornos nas estufas de secagem
Capacitação dos colaboradores para o tema Sustentabilidade
Certificação OHSAS 18001 para o Sistema de Saúde e Segurança
Desenvolvimento de carreira para os colaboradores
Avaliação das práticas socioambientais dos fornecedores
Excelência no atendimento
Capacitação profissional para jovens de baixa renda
Curso de ceramista para jovens aprendizes
Produtos inovadores, de qualidade e com características sustentáveis
Engajamento com a comunidade
Geração de patentes de produtos
Centro de Desenvolvimento e Inovações
Simulação virtual do comportamento da água nos produtos Deca
Certificação ISO 9001 para o Sistema de Gestão da Qualidade
Certificação ISO 14001 para o Sistema de Gestão Ambiental
Impostos pagos ao governo
X

1. Recebimento de materiais

Etapa de recepção e avaliação dos materiais utilizados no processo produtivo.

X

2. Fabricação de massa cerâmica.

Etapa de preparação da massa cerâmica feita à base de argila.

X

3. Fabricação de moldes

Etapa em que são produzidos os moldes usados para dar forma às peças cerâmicas.

X

4. Fundição

Processo que dá forma às peças cerâmicas a partir da injeção de massa nos moldes.

X

5. Secagem

Processo que elimina a umidade residual das peças cerâmicas.

X

6. Fabricação de esmaltes

Processo de preparação dos esmaltes que darão cor e acabamento vitrificado às peças cerâmicas.

X

7. Esmaltação

Etapa em que as peças cerâmicas recebem pulverização de esmalte.

X

8. Queima

Etapa em que as peças ganham resistência e brilho a partir da exposição a altas temperaturas.

X

9. Inspeção final e embalagem

Etapa de vistoria das peças, para garantia de sua qualidade, e posterior montagem e embalagem final dos produtos.

X

10. Expedição

Etapa de armazenamento, preparação dos lotes e envio aos clientes.

 
Corredores ecológicos
Monitoramento da fauna e flora
Estudos sobre os fluxos de carbono e água nas plantações de eucalípto
Manutenção e conservação de estradas na floresta
Áreas de conservação
Captação de água da chuva para irrigação das mudas
Tratos silviculturais
Madeira colhida em áreas de reflorestamento
Baixa emissão de CO2 devido à logística de transporte
Capacitação profissional para pessoas com deficiência
Capacitação dos colaboradores para o tema Sustentabilidade
Desenvolvimento de carreira para os colaboradores
Certificação OHSAS 18001 para o Sistema de Saúde e Segurança
Proteção contra pragas e incêndios florestais
Curso gratuito de formação de jovens tratoristas
Venda de cavaco usado como biomassa
Avaliação das práticas socioambiantais dos fornecedores
Atividades de educação socioambiental para a comunidade
Engajamento com a comunidade
Excelência no atendimento
Estudos sobre o comportamento da floresta a partir de monitoramento por drones
Desenvolvimento e pesquisa de material genético
Certificação FSC® de manejo florestal
Desenvolvimento e pesquisa de equipamentos para silvicultura e colheita
Impostos pagos ao governo
X

1. Produção de mudas

Mudas de pinus e eucalipto são cultivadas em viveiros para posterior plantio.

X

2. Plantio

As mudas do viveiro são plantadas na floresta, em sistema de cultivo mínimo. Folhas e galhos das florestas anteriores são mantidos no solo, contribuindo para sua proteção e fornecendo nutrientes para os próximos plantios.

X

3. Floresta plantada

Cultiva-se a floresta por um período de seis a sete anos, garantindo os melhores índices de produtividade.

X

4. Colheita

Colhe-se a madeira das florestas plantadas para uso como matéria-prima.

X

5. Carregamento de madeira

As toras de madeira são colocadas em caminhões e encaminhadas à fábrica.

X

6. Fábrica

As unidades industriais recebem as toras de madeira e as armazenam no pátio.

X

Preparação de cavaco

Toras de madeira são picadas e transformadas em cavaco, que é vendido ao mercado como biomassa ou matéria-prima para processos industriais.

X

Casa de polinização controlada

Espaço dedicado ao desenvolvimento e pesquisa de material genético.

X

Laboratório

Espaço dedicado à pesquisa e suporte das atividades de melhoramento genético.

 
Processo de fertirrigação
Baixa emissão de CO2 devido à logística de transporte
Uso de matéria-prima proveniente de florestas com certificação FSC©
Processos e equipamentos eficientes do ponto de vista energético
Motores de alto rendimento
Reuso de água no processo produtivo de MDF
Condensação do vapor gerado no processo produtivo para reaproveitamento da água
Utilização de biomassa para produção de energia
Aproveitamento de gás quente para secagem de cavaco
Reuso de água no processo produtivo de chapas de fibra
Recuperação de telas de alumínio e cobre
Fábrica de fertilizante orgânico
Tratemento de efluentes
Reuso de efluentes tratados para preparação de químicos
Certificação OHSAS 18001 para o Sistema de Saúde e Segurança
Desenvolvimento de carreira para os colaboradores
Cursos de capacitação para pessoas com deficiência
Capacitação dos colaboradores para o tema Sustentabilidade
Avaliação das práticas socioambientais dos fornecedores
Capacitação profissional para jovens de baixa renda
Curso gratuito para instalação de piso Duraflor
Excelência no atendimento
Introdução do MDF no Brasil
Maior linha de MDF do mundo
Linha de pintura com tecnologia importada da Europa
Uso de prensa contínua
Produção própria de resina com fábrica de alta tecnologia
Certificação ISO 9001 de Sistemas de Gestão da Qualidade
Certificação FSC© de Cadeia de Custódia
Certificação ISO 14001 de Sistemas de Gestão Ambiental
Pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços
Impostos pagos ao governo
X

1. Descascador

Etapa do processo que remove a casca das toras de pinus e eucalipto a fim de facilitar o manuseio da matéria-prima.

X

2. Picador

Processo que pica as toras de pinus e eucalipto para transfomá-las em cavaco.

X

3. Desfibrador

Processo que transforma o cavaco em fibras de madeira.

X

4. Corte

Serra que corta com precisão o "colchão de fibras" nas dimensões comerciais.

X

5. Prensa

Processo que prensa o material, formando as chapas de fibra de madeira.

X

2. Picador

Processo que pica as toras de pinus e eucalipto para transfomá-las em cavaco.

X

3. Secador

Processo usado para eliminar a umidade presente no cavaco ao submetê-lo a altas temperaturas.

X

4. Preparação de partícula

Processo que transforma o cavaco em partículas de madeira.

X

5. Encolagem

Processo que adiciona resina às partículas de madeira.

X

6. Prensa

Processo que prensa o "colchão de partículas", formando as chapas de MDP.

X

7. Corte

Serra que corta com precisão as chapas nas dimensões comerciais.

X

2. Picador

Processo que pica as toras de pinus e eucalipto para transfomá-las em cavaco.

X

3. Desfibrador

Processo que transforma o cavaco em fibras de madeira.

X

4. Encolagem

Processo que adiciona resina às fibras de madeira.

X

5. Ciclone de secagem

Processo usado para eliminar a umidade presente nas fibras de madeira.

X

6. Prensa

Processo que prensa o "colchão de fibras", formando as chapas de MDF.

X

7. Corte

Serra que corta com precisão as chapas nas dimensões comerciais.

X

Acabamento

Etapa em que a chapa é lixada para ajustes de espessura e na superfície.

X

Expedição

Etapa de armazenamento, preparação de lotes e envio aos clientes.

X

Pátio de madeira

Espaço a céu aberto onde ficam armazenadas as toras de pinus e eucalipto usadas no processo produtivo.