+A -A

    Aprimoramos continuamente nossas operações ambicionando o equilíbrio socioambiental em toda a cadeia de valor
 

Desde o início de nossas atividades florestais, fazemos questão de adotar práticas de manejo responsáveis que aliam altíssima produtividade à conservação da biodiversidade em todas as nossas unidades, sendo inclusive considerados referência no setor.

CERTIFICAÇÃO FSC®

Temos orgulho de ser a primeira empresa da América do Sul a obter a certificação FSC® (Forest Stewardship Council®) para Manejo Florestal. Desde 1995, possuímos o selo, que atesta que nossas atividades relacionadas à prática são ambientalmente adequadas, socialmente benéficas e economicamente viáveis.

Mantemos procedimentos para avaliar e mitigar os impactos sociais relacionados às atividades de manejo de nossas florestas plantadas, a fim de ter um relacionamento cada vez melhor com as comunidades onde estamos presentes, e baseamos nossa atuação em quatro conceitos ambientais básicos, explicados no folder Cultivos de Valor.

Confira, abaixo, resumo dos Planos de Manejo Florestal que traçamos para as regiões onde estamos presentes.

  Plano de Manejo Florestal 2019

CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

Possuímos 222 mil hectares de florestas de eucalipto e áreas de conservação, que também servem de refúgio para cerca de 2 mil espécies de fauna e flora, incluindo espécies ameaçadas de extinção, segundo a Lista Vermelha da IUCN, o que reforça o quanto nosso manejo contribui para a conservação e proteção da biodiversidade local.

Também possuímos parcerias com diferentes universidades e institutos de pesquisa para estimular e contribuir com o estudo científico da fauna e flora brasileira. Em 2018, participamos de 11 projetos do tipo nas regiões onde atuamos.

Possuímos 222 mil hectares de florestas de eucalipto e áreas de conservação, que também servem de refúgio para cerca de 2 mil espécies de fauna e flora.

MONITORAMENTO DE FLORESTAS PLANTADAS

Monitorar, no longo prazo, os fluxos de carbono, água e nutrientes de nossas florestas garante seu desenvolvimento saudável e o equilíbrio ambiental das regiões onde estamos presentes. Por isso, desde 2008, apoiamos o programa cooperativo Torre de Fluxo. Possuímos unidade de pesquisa dentro de nossas fazendas que capta, periodicamente, dados a respeito de nossas florestas plantadas, contribuindo para estudos científicos a respeito das melhores práticas de sustentabilidade e otimização de produção desse tipo de cultivo.

PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO

Desde 1969, mantemos também Programa de Melhoramento Genético focado na pesquisa e desenvolvimento de materiais capazes de garantir às nossas árvores de eucalipto maior resistência a pragas e doenças e melhor adaptação a diferentes condições climáticas e pluviométricas.

NOSSAS METAS

Nossos compromissos para o tema Manejo Sustentável das Florestas até o ano de 2025 são:

Meta Status Em 2018
Reduzir o uso de defensivos por hectare de efetivo plantio em 5%, mantendo os níveis de produção desejáveis Projetos em andamento
Reduzir o consumo de água na irrigação por hectare de plantio em 50% Superamos a meta prevista para 2018
Influenciar para a conectividade regional 100% dos proprietários das áreas de conservação vizinhas maiores que 500 ha e em um raio de 2 km Projetos em andamento
Ter 100% das comunidades envolvidas no planejamento da colheita Superamos as metas previstas para 2018
Dobrar as bases genéticas Meta prevista para 2018 ficou próxima à esperada
Assegurar que 100% das áreas próprias estejam com o manejo certificado Superamos a meta prevista para 2018. Resultado final foi 96,16%
Aumentar a massa seca por hectare em 10% (até 2035) Superamos a meta prevista para 2018
Ter 80% das áreas fomentadas certificadas (até 2035) Projetos em andamento

*Aprovadas em 2018, as metas referentes à Ceusa passarão a ser mensuradas em 2019 e terão seus status reportados a partir de 2020

  • Reduzir o uso de defensivos por hectare de efetivo plantio em 5%, mantendo os níveis de produção desejáveis.
  • Produzir 50% do material vegetal por meio de cultivo clonal.
  • Ter a primeira geração clonal composta por no mínimo oito materiais genéticos de eucalipto.
  • Ter 100% das áreas próprias de plantio com manejo certificado.
  • Ter 80% da colheita própria realizada por sistema de extração de última geração.

*Aprovadas em 2018, as metas referentes à Duratex Colômbia passarão a ser mensuradas em 2019 e terão seus status reportados a partir de 2020